Tag: Habilidades do GP

Fatores Críticos de Sucesso nos Projetos

Alguma vez identificou os fatores críticos de sucesso do seu projeto?

Fatores críticos de sucesso são meios de identificar o progresso no sentido de um resultado bem-sucedido. Dois tipos são relevantes: fatores do processo e do projeto.

Os fatores críticos de sucesso do processo são aqueles associados à estratégia utilizada para alcançar o sucesso. Entre eles se incluem ferramentas, técnicas, processos e procedimentos usados para definir, planejar, executar e concluir o projeto no prazo e dentro do orçamento. Entre eles podemos destacar:

- São definidos os objetivos, resultados e benefícios do projeto.

- É indicado um patrocinador que mantém seu apoio e o compromisso em relação ao projeto.

- Os interessados são consultados regularmente e mantidos informados da posição do projeto.

- É formada uma equipe adequada e são utilizados os conhecimentos técnicos corretos.

- Existe um plano elaborado e programado cuidadosamente, que é mantido atualizado.

- Todo mundo entende os procedimentos de controle para o monitoramento e o acompanhamento dos progressos.

- São mantidos processos de aprovação e assinatura do projeto

- Os riscos do projeto são revistos e monitorados regularmente.

- Os problemas do projeto são resolvidos prontamente no nível administrativo adequado.

- Estão estabelecidos procedimentos de prestação de contas e comunicação que funcionam bem.

 

Os fatores do projeto surgem da lista de resultados e benefícios, especialmente se esses últimos começam a dar frutos antes da conclusão. Não escolha todos os resultados como Fatores Críticos de Sucesso, em vez disso, escolha só três ou quatro. Identifique aqueles que permitam produzir facilmente algumas medidas e defina como mensurar os progressos. Embora o orçamento seja considerado como um fator de mensuração, é apenas uma maneira de medir o progresso e nem sempre significa o sucesso!

Seja o que for que escolher como Fatores Críticos de Sucesso, deve se certificar de que seja aceitável por seus principais interessados, seu cliente e patrocinador, uma vez que possam usá-lo como um meio de medir o desempenho.

 

Bookmark and Share

10 habilidades em Gerenciamento de Projetos que podem ajudar à sua carreira

Estas dicas importantíssimas foram publicadas na newsletter do PMI São Paulo. Sugiro uma leitura minuciosa e colocar em prática para o desenvolvimento do soft skill dos gerentes de projetos.

1. Mostrar resultados. Gerenciamento de Projeto é a arte e a ciência de se fazer as coisas acontecerem. Quando você melhorar suas habilidades em Gerenciamento de Projetos, você saberá como fazer acontecer mais rapidamente e eficientemente, e ainda mais importante, você aprende como documentar os resultados. Em nossa carreira, comumente só somos bons pelas nossas últimas decisões. Você não pode ser um profissional de acertos únicos. Em vez disso, poderá, como um gráfico, ano após ano, mostrando sucesso após o sucesso.

2. Ser eficiente. Quando você aplica os princípios de Gerenciamento de Projetos no seu trabalho, na sua casa ou vida, você parar de reinventar a roda. O Gerenciamento de Projetos ensina você como tornar mais eficiente o uso dos recursos para gerar o melhor resultado no menor período de tempo. Ao final de cada projeto, você captura as melhores práticas e lições aprendidas, criando uma documentação de valor incalculável com erros e acertos. Soa muito bom para ser verdade? Bons Gerentes de Projetos o fazem em todos os projetos, e você pode também.

3. Criar um diálogo permanente. Um erro comum em Gerenciamento de Projetos e no time de projetos é o pressuposto que uma reunião basta para que todos possam seguir o trabalho do projeto e, em seguida, termina a comunicação, e de algum modo tudo magicamente será terminado. Suas competências de comunicação não são sobre o seu vocabulário. Elas são sobre a forma como você gerencia sua comunicação. Você está comunicando com freqüência suficiente e com clareza? Está comunicando o que é relevante? Você está comunicando o seu sucesso?

4. Jogar bem com os outros. As pessoas ouvem a palavra trabalho em equipe, e eles resmungam ou eles dizem que eles são, obviamente, um jogador da equipe. É por isso que eu queria trazê-lo de volta para o lugar em nossa mente, no jardim da infância, chamada: Caixa de Areia. Você brinca bem com os outros? Será que as outras pessoas querem estar na sua equipe? São respeitados por você? Você ouve ativamente o que os outros têm a dizer? Bons Gerentes de Projetos sabem quando devem conduzir e quando sair do caminho. Quando alguém é entrevistado, você sabe o que essa pessoa está pensando: Posso trabalhar com ele? Será que o meu trabalho será bom com ela?

5. Deixar sua confiança brilhar. Quando alguém mostra confiança, todos na sala sentem também.

6. Manter seus Compromissos. Errar nos prazos e projetos que escorregam em rachaduras são erros assassinos na carreira. As habilidades de Gerenciamento de Projeto têm como foco o cumprimento de marcos e resultados que constroem sua reputação e dá aos membros do projeto uma razão para confiarem em você. “Sei que posso sempre contar com ela para fazer o trabalho.” Esta citação pode, e deve, ser sobre você.

7. Manter a calma. Bons Gerentes de Projetos não se desesperam. Eles podem permanecer calmos e no controle, porque eles têm documentações que contém todas as Informações críticas do projeto.

8. Adaptação a mudanças. Não ignore a mudança. Empresas mudam. Prazos se alteram. As pessoas vêm e vão. Bons Gerentes de Projetos sabem que muitas vezes tem que adaptar os planos e documentar o que mudou e quais serão os impactos das mudanças no projeto inteiro.

9. Saiba o que você não conhece. Quais são seus pontos fortes e fracos? Quais as competências que você precisa para se deslocar a partir do “status quo” para o próximo nível? Uma vez que você tenha uma base sólida de Gestão de Projetos, continue crescendo nestas habilidades. Não estagnar, aprendizagem contínua e uma sede de conhecimento são sempre atraentes para os empregadores e membros da equipe.

10. Liderança com propósito e paixão. As pessoas vão acompanhar aqueles que sabem o que que estão fazendo e que pode gerar resultados. Gerenciamento de Projeto é uma poderosa ferramenta de liderança, pois não só nos mostra como manter o nosso olhar sobre o prêmio e da finalidade, mas é também sobre a paixão de conquistar o sucesso. Nada melhor do que o sentimento de realização.

Fonte: Publicação e-news do PMI São Paulo

 

 

 

Bookmark and Share

Algumas dicas para uma boa negociação

Muitas são as técnicas utilizadas para o sucesso na negociação. Com o intuito de auxiliar os gerentes de projetos, a seguir, apresentamos os passos sugeridos por William Ury, baseados no conceito de Joint-problem solving (resolução conjunta de problemas).

1.      Não reaja: consiga um distanciamento psicológico

Mantenha seu equilíbrio mental e esteja focado em conseguir o que você quer. Afaste-se psicologicamente, como um observador, superando assim sua primeira barreira para a negociação.

  • Identifique quais fatores o levam a perder o equilíbrio, para poder controlar suas reações.
  • Espere passar a raiva, faça uma pausa, isto acalmará os ânimos de ambos os lados.
  • Repita o que seu oponente disse procurando entender o que ele quer. Isto lhe dará tempo para analisar a situação e encontrar melhores formas de abordagem.
  • Se for necessário sugira um coffee break ou converse sobre assuntos mais amenos.
  •  Nunca tome decisões sobre pressão.

2.      Não discuta: passe para o outro lado

Ouça as idéias do seu oponente, não o trate como adversário e você estará evitando as atitudes negativas e defensivas que possam surgir.

  • Demonstre que você entende seu problema, escutando-o.
  • Tente manter o foco nas similaridades e não nas diferenças.
  • Introduza suas idéias como se fossem contribuições.
  • Expresse seu ponto de vista sem desafiá-lo.

3.      Não rejeite: reformule a abordagem

Redirecione a situação para uma solução conjunta focada no interesse mútuo.

  • Faça perguntas, demonstre atenção.
  • Trate seu oponente como uma oportunidade.
  • Tome iniciativa, faça sugestões para agregar valor às discussões, transformando-as em soluções.
  • Peça opinião, desarmando seu oponente, forçando-o a agir positivamente.
  • Transforme ataque em vantagem, buscando soluções para os problemas.

4.      Não empurre: Crie uma ponte entre seus interesses e os do outro lado

Leve seu oponente a construir uma solução em conjunto, satisfatória para ambos os lados.

Nem sempre é fácil superar obstáculos como o medo do oponente em ser “passado para trás” perante os demais, ou seus interesses não terem sido atendidos completamente, então mostre que juntos encontrarão uma nova solução.

  • Vá com calma, não force a situação, mostre que é possível um acordo.
  • Haja como um facilitador.

Ainda assim é possível que a outra parte não esteja pronta para ceder!

  • Mostre então as conseqüências que poderão advir com a falta de um acordo: ambos saem perdendo!
  • Mostre que ainda existe uma alternativa: fazer um acordo

O processo da negociação poderá ser longo, porém é importante respeitar o oponente, sua liberdade de escolha entre não fechar o acordo ou atravessar a ponte e entrar em entendimento.

Se obtiver sucesso, lembre-se que não foi um resultado imposto, mas sim negociado, evitando-se animosidades para um próximo “confronto”.

Através de um bom relacionamento de trabalho poderá haver novos acordos!

Boa negociação!

Bookmark and Share

O Gerente de Projetos Efetivo

O que não aprendemos com o PMBOK® Guide?, é simples: não aprendemos a ser um bom gerente de projetos. É verdade que se aprendem muitas técnicas e procedimentos, mas a aplicação de todas elas não prepara ao profissional para ser efetivo. Qual é o problema? O Guia PMBOK®, assim como as diferentes metodologias para o gerenciamento de projetos procuram somente um objetivo: entregar projetos. Mas a excelência está em manter presentes outros objetivos igualmente importantes:

 

§         Criar uma equipe efetiva: Por definição todo projeto tem um fim. Enquanto estamos focados na execução de um projeto é importante pensar que depois virão outros. O que hoje fazemos para funcionar melhor como equipe dará seus frutos hoje e no futuro.

§         Gerar confiança: Não importa se está liderando um projeto como funcionário ou como consultor, sempre terá alguém avaliando não somente os resultados senão também qual foi o caminho seguido para atingir eles.

§         Aprender: Se quando finalizar um projeto algum membro da equipe não é capaz de dizer: “aprendi tal ou qual coisa”, como gerente de projetos você deve avaliar o feito e guardá-lo na gaveta de “fracassos”. Sem aprendizagem não existem desafios, não tem emoção nem paixão. É importante que cada membro da equipe sinta que ele ganhou alguma coisa depois de trabalhar arduamente.

 

Não existe documento ou técnica na educação formal que ofereça ferramentas para conseguir estes objetivos. Os bons gerentes de projetos aprenderam da experiência, dos erros cometidos e dos êxitos alcançados. A excelência não está nos procedimentos, senão em manter as seguintes premissas e aplicá-las no dia-a-dia:

 

Entender que a equipe de projetos está formada por pessoas

 

Sem importar o tipo de projeto no qual estão trabalhando, o 99,99% das vezes será um trabalho de equipe. É importante não ver aos membros das equipes como analistas, programadores, gerentes, engenheiros, contadores, etc. senão como seres humanos com objetivos, habilidades, debilidades, personalidades, família e motivações. Tendo claro que são também seres humanos como nós, será mais simples poder entender a perspectiva com a qual a equipe interpreta as tarefas que devem realizar para atingir o objetivo do projeto. Compreendendo os pontos de vista das outras pessoas, será mais simples a comunicação com eles, como também apoiá-los para que sejam efetivos em seu trabalho.

 

Planejar  as mudanças

 

Por definição cada projeto é um empreendimento com características únicas. Mas nunca podemos predizer o que acontecerá exatamente. É verdade que se necessita  planejamento, mas isso não significa preparar um diagrama de Gantt inflexível, com probabilidade de se tornar inútil na metade do projeto ao invés de mostrar a realidade. O mais provável é que durante a execução do projeto algumas prioridades mudem, os requerimentos variem, existam mudanças de recursos ou orçamento. O gerente de projetos deve estar preparado para estes cenários e apoiar para que qualquer mudança seja mais facilmente assimilada pela equipe.

 

Nada existe se não se diz

 

Um gerente de projetos que não passa a maior parte do seu tempo se comunicando, não está fazendo bem seu trabalho. Quando a informação não se transmite, simplesmente não existe ou é inútil. É responsabilidade de cada membro da equipe ter a informação disponível. Se comunicar não é somente ser o emissor, o gerente de projetos deve também ser o receptor das opiniões da equipe para conhecer outras perspectivas sobre o andamento do projeto.

 

É no balanço entre os procedimentos técnicos do gerenciamento de projetos e a inclusão de outros objetivos além do simples cumprimento do objetivo do projeto, o que diferencia a um gerente de projetos de um gerente de projetos efetivo.

 

O que vocês estão fazendo para serem realmente efetivos?

PMBOK é marca registrada do Project Management Institute, Inc.

Bookmark and Share

O que se espera do Gerente de Projetos

Em uma entrevista realizada pela Revista da Qualidade de Portugal, Nuno Ponces de Carvalho, presidente da APOGEP – Associação Portuguesa de Gestão de Projetos comenta quais são as características principais do perfil de um gerente de projetos. A seguir alguns dos seus comentários.   

 

IM Project-Manager-Career-Path-Featured

Os clientes dos projetos cada vez mais vêm o gestor de projetos como a pessoa que faz as coisas acontecer. Por isso, ao longo da sua carreira, lhe são exigidos, além da competência técnica específica, sensibilidade pessoal e organizacional e uma forte orientação para os problemas de negócio. O gestor de projetos não é mais o especialista capaz de realizar o melhor produto ou de encontrar a melhor solução para um problema técnico. Do gestor de projeto espera-se, acima de tudo, que seja um líder, focado nos resultados e com um forte sentido de planejamento e controle. Espera-se também que seja um mentor dos elementos da equipe e o principal ponto de contato com o cliente, durante toda a execução do projeto.

 

Estudos realizados revelam que os requisitos mais referidos em anúncios para a função de gestor de projeto, têm a ver com aspectos que não dizem respeito àquilo que se considera tradicionalmente serem os conhecimentos específicos de gestão de projetos, mas que são, realmente, o que se deve esperar de um verdadeiro gestor e de um líder. Entre eles estão, em ordem de importância: espírito de equipe, liderança, habilidade para entender, pensamento analítico e comercial, negociador, iniciativa e entusiasmo, criatividade, flexibilidade e talento organizacional.   

 

A avaliação da competência de um gestor de projetos é um processo complexo que não se limita à avaliação tradicional dos conhecimentos técnicos específicos da gestão de projetos, baseados num corpo de conhecimentos constituído por processos, métodos e técnicas. A avaliação da competência tem de abranger também uma análise formal da experiência profissional.  Deve-se também, colocar atenção que estas dimensões evoluem ao longo da carreira do gestor de projetos, devendo-se dar cada vez mais ênfase aos componentes experiência e atitude.

IM project management

 

Nuno Ponces Carvalho comenta que dentre os desafios da próxima década, seja por via das autoridades nacionais ou das internacionais, “nos próximos anos teremos muito provavelmente a certificação de empresas em gestão de projetos. Acredito que este possa ser um instrumento fundamental, até porque não basta dotar as empresas com gestores de projeto de qualidade. É necessário que as entidades empresariais criem estruturas e condições para que esses profissionais possam trabalhar com qualidade. Assim, devemos atuar sob dois vetores: verificar se os gestores de projeto são os adequados e estão devidamente certificados e garantir que as empresas criam a cultura da qualidade da gestão de projetos. Este será o grande desafio da próxima década para as empresas”.

Curta a página do Facebook da FIXE e acesse a conteúdo exclusivo para fans: Modelo de CV de sucesso, dicas de Leitura, dicas para as certificações.

Nos conte quais são os temas do seu interesse que gostaria sejam tratados em futuras publicações. Deixe seu pedido aqui. Será um prazer poder atender as suas expectativas.

Grande abraço!

Bookmark and Share

O gerente de projetos precisa ser líder?

O conhecimento das melhores práticas e as ferramentas e técnicas não é suficiente para um ótimo desenvolvimento do gerenciamento de projetos.  

 

Como especifica o PMBOK® Guide 4ta. Edição no item 1.6 da página 13, “Muitas das ferramentas e técnicas de gerenciamento de projetos são específicas do gerenciamento de projetos. No entanto, compreender e aplicar o conhecimento, as ferramentas e as técnicas reconhecidas como boas práticas, não é suficiente para um gerenciamento eficaz.”.

 

Também define que, “O gerente de projetos é a pessoa designada pela organização executora para atingir os objetivos do projeto.” Mas como atingir esses objetivos?, por isso diz…

“Além de todas as habilidades da área específica e de todas as proficiências ou competências …. o gerenciamento eficaz requer que o gerente tenha outras características”, e entre elas define as características de personalidade e liderança.

 

Ou seja, o que significa esse algo a mais que precisa desenvolver?  O que precisa ser para conseguir os objetivos? O que significa ser líder?

 

A palavra Líder vem do inglês “lead” e significa guia. Líder é aquele que tem a visão do caminho certo a ser seguido e a capacidade de conduzir os liderados. É a habilidade de motivar e influenciar os liderados para que contribuam da melhor forma com os objetivos da equipe. Um bom líder não faz, faz fazer.

 

O que você gerente de projetos deve ser e deve desenvolver para ser um líder?. Aqui algumas sugestões:

 

1-      Ter visão. Saber orientar sua equipe, indicando o rumo a ser seguido: onde chegar e como chegar, tendo a visão clara da missão, estratégias, objetivos e dos valores básicos.

 

2-      Dar o exemplo. Só é verdadeiramente líder quem segue à frente dando o exemplo: “As palavras comovem, os exemplos arrastam”.

 

3-      Acreditar com determinação. Não basta ter a visão. É necessário acreditar com muita determinação que vai conseguir os objetivos,  inclusive sabendo aprender com os erros.

 

4-       Agir, sabendo fazer-fazer. O bom líder não faz, faz fazer.

 

5-    Ter habilidade interpessoal e competência emocional. Saber reconhecer e administrar as próprias emoções. Conhecer e sentir empatia em cada liderado, sabendo lidar com eles.

 

6-      Ter comunicação clara. Verificar sempre como ela chega ao destinatário.

 

7-       Buscar motivar e envolver os liderados.

 

8-      Tomar Decisões. Saber tomar a decisão certa na hora certa, evitando os extremos, a indecisão e o excesso de ansiedade.

 

9-       Administrar o tempo. Saber administrar o tempo e as prioridades.

 

10-   Saber inovar. Estimular e valorizar a criatividade dos liderados.

 

11-  Trabalhar em equipe. Ser próximo, acessível, decidir em conjunto sempre que possível, buscar a união de todos e, para isso, administrar os conflitos. Buscar aparecer pelos resultados e não pela vaidade e poder.

 

12-   Prática construtiva do feedback. Saber dar e receber feedback, conseguindo ouvir e processar.

 

Muitos gerentes de projetos têm estas características e qualidades de líder inatas. Se você não é líder ainda, deverá se desenvolver como tal. Precisa ler bibliografia específica, estudar, fazer cursos complementares, se preparar de alguma forma para ser e praticar muito.  

 

Para saber se vc é líder, faça a pergunta: Meu gerenciamento de projetos é eficaz? As respostas dirão se já se desenvolveu como líder. 

Curta a página do Facebook da FIXE e acesse a conteúdo exclusivo para fans: Modelo de CV de sucesso, dicas de Leitura, dicas para as certificações.

Quais os temas do seu interesse que gostaria sejam tratados em futuras publicações? Deixe seu pedido aqui. Será um prazer poder atender as suas expectativas.

Grande abraço!

PMBOK é marca registrada do Project Management Institute, Inc.

 

Bookmark and Share

Scope creep, uma ameaça para os projetos

Vc sabe o que é scope creep?

Na Declaração de Escopo definimos exatamente o produto ou serviço que deve ser feito para atender a necessidade do cliente e só isso. Estes produtos ou serviços, chamados de entregas ou resultados principais (deliverables), são definidos no PMBOK® Guide como “qualquer resultado mensurável, tangível e verificável que deve ser produzido para completar o projeto ou parte dele”.

 

O gerenciamento do escopo do projeto é o processo que garante que o projeto inclui todo o trabalho requerido, e somente o requerido, para que a equipe o realize com sucesso. Representa a base para o planejamento do projeto e para a criação da sua linha base. Essa definição de escopo está associada ao prazo e ao custo pré-definidos e aprovados no planejamento. O gerenciamento do escopo deve ser conduzido de modo preciso, uma vez que será a base do trabalho a ser entregue no projeto e onde o cliente pagará por ele.

 

Uma das habilidades do gerente de projetos é proteger seu escopo. Projetos que ficam mudando o escopo durante sua execução têm sérias dificuldades em cumprir o cronograma, estouram o orçamento, e muitas vezes levam o projeto ao fracasso. O risco mais comum é o que se chama de “scope creep”, também chamado de goldplating, refere-se a fornecer escopo adicional, não solicitado, não definido e aprovado. O gerente de projeto deve entregar ao cliente o que ele solicitou e somente isso. Adicionar extras ao projeto produz uma perda de tempo e pode não representar benefícios para o projeto.  

 

O que sucede com freqüência na prática?. Para muitas solicitações de mudanças pequenas do escopo não é prático ir até o patrocinador para que as aprove, já que podemos não ter acesso diariamente. A melhor forma é juntar todas as pequenas mudanças em uma solicitação só, se possível. Isto significa que o gerente de projeto está sob controle das mudanças não significativas, não permitindo que o escopo cresça sem controle integrado de mudanças.

 

E vc já provocou alguma vez scope creep?  Compartilhe com todos nós sua experiência … 

   

PMBOK é marca registrada do Project Management Institute, Inc.

 

 

Bookmark and Share

10 tips para o sucesso em Gerenciamento de Projetos

1 – Seja claro sobre o resultado do projeto que foi encomendado para vc.

 

2 – Planeje o trabalho da melhor maneira para poder executá-lo e trabalhe para cumprir o prazo.

 

3 – Assim que você completa a iteração do planejamento compare este com a iteração anterior para verificar se ainda está no escopo.

 

4 – Construa critérios para finalização de cada tarefa. Estes critérios darão tanto ao Gerenciamento de Projetos quanto os membros da equipe trabalhando nesta tarefa, clareza sobre o que deve ser feito.

 

5 – Defina Regras Básicas para sua equipe, elas ajudarão ao seu time trabalhar juntos de forma mais efetiva.

 

6 – O efeito de assumir um pedido de mudança não é sempre igual ao número de dias previsto na sua estimativa. Esteja ciente do efeito desse incremento.

 

7 – Construa estimativas de custo para cada tarefa independente de estarem dentro de seu orçamento ou não. Você precisa da prática e mais tarde poderá usar estes números para gerenciamento do Earned Value.

 

8 – Calcule o custo de qualidade ao final da fase de planejamento e muitas vezes durante a execução do projeto. Fazendo isso fortalecerá suas habilidades para entregar um projeto de melhor qualidade.

 

9 – Construa um plano efetivo para trabalhar com seus executivos da mesma forma que você trabalha com a sua equipe.

 

10 – Tenha uma atitude de sucesso, isso é contagioso.

 

Bookmark and Share

O Futuro do Gerenciamento de Projetos é agora

 

Vivemos a era da globalização. Seja este um jargão ou clichê, ou qualquer outra classificação dada às expressões que se popularizam de tal forma a se transformar em linguagem corrompida ou gíria profissional, me parece que ainda é a melhor forma de se caracterizar “um mundo em que se concorre com todos, por tudo e em toda parte” como bem enunciaram os autores Harold L. Sirkin, James W. Hemerling e Arindam Bhattacharya em seu livro Globalidade: A nova era da globalização (Editora Nova Fronteira, 2008).

As Organizações empresariais, sociais e familiares despertam para o desenvolvimento sustentável. As escolas pregam, aos alunos desde a mais tenra idade, a importância da preservação do meio-ambiente. Proteger o Planeta, Respeitar as Diferenças, A importância do Voluntariado, Fazer parte da Solução e não do Problema, são temas utilizados para o desenvolvimento de atividades escolares desde a educação infantil até os níveis superiores, em todas as áreas de conhecimento.

O mundo está em transformação, felizmente, embora um tanto tardio, para uma sociedade melhor do que as experimentadas em passado recente.

Globalização, Sustentabilidade e Transformação: contornos de um cenário que induz a algumas reflexões sobre as tendências do gerenciamento de projetos.

A pressão por projetos mais rápidos, o aumento de oportunidades para um número maior de clientes, a tecnologia derrubando barreiras, antes impensadamente transpostas e a conectividade ilimitada proporcionando um conjunto ilimitado de informações, são fatores que apontam para a necessidade de uma nova visão sobre a atividade de gerenciamento de projetos.

E nessa nova visão destacam-se habilidades fundamentais para que o gerente de projeto seja bem sucedido ao enfrentar desafios e tenha o melhor proveito das oportunidades que se avizinham nas mudanças organizacionais que, necessariamente, ocorrerão para aqueles que buscam sobreviver no mundo novo: comunicação, desenvolvimento de uma linguagem comum (democratização da informação) e liderança.

Considerando que a prática de uma metodologia e o bom uso das ferramentas de gerenciamento de projeto são o fundamento para o desenvolvimento de uma linguagem comum, restam as outras duas habilidades, comunicação e liderança, a serem cultivadas.

§         A comunicação, em sua essência: comunicar a coisa certa, da forma correta, para as pessoas certas, na hora certa.

§         A liderança, com sabedoria, cooperação e afetividade, reunindo todos para caminhar em direção ao objetivo comum.

Evidentemente que este tema não se esgota por aqui. O que se espera é que sirva para estimular os gerentes de projeto a repensar suas estratégias de atuação. Não podemos esperar que velhas receitas curem doenças novas, da mesma forma que, “fazer mais do mesmo” não traz resultados efetivos neste “admirável mundo novo”.

Tem-se tornado comum em muitos seminários e congressos a colocação de que, de uma forma geral, nas organizações existem três tipos de pessoas:

§         As que fazem as coisas acontecerem,

§         As que assistem as coisas acontecerem, e

§         As que querem saber o que aconteceu.

A que grupo você pertence?

Bookmark and Share

Habilidades do Gerente de Projetos

Ser Gerente é obter resultados com pessoas e estar aberto a mudanças. Obter resultados com pessoas significa saber lidar com elas, agir como um Líder e não como um chefe!

Estar aberto a mudanças é explorar novas possibilidades e isto é essencial para o sucesso da organização.

Para se alcançar o sucesso profissional, bem como na própria vida é fundamental nos relacionarmos bem. Os gerentes devem ser capazes de atrair as pessoas para um objetivo comum. Os gerentes não esperam, eles vão em busca deste objetivo comum, lado a lado com sua equipe.

A autoconsciência e a administração de si mesmo são decisivas. Não bastam ações focadas em custo, cliente ou resultado. Suas atitudes devem ser coerentes com seus pensamentos e condutas.

Um gerente precisa estar sempre em desenvolvimento.

Para se desenvolver um perfil gerencial, são necessárias habilidades técnicas – que geram resultados; humanas – motivadoras de pessoas; conceituais e estratégicas – voltadas para inovação.

Faz-se necessário SABER FAZER (Técnica), bem como QUERER FAZER (Comportamento).

Portanto, gerenciar é um processo que reúne habilidades em planejar, coordenar, controlar ações, e que utiliza fatores comportamentais como motivação e integração para impulsionar bons resultados.

Bookmark and Share

Comunicação e Gestão de Projetos

Vivemos uma sociedade do conhecimento, onde os valores fundamentais são centrados na posse da informação, na aplicação do conhecimento e na utilização do capital humano. Sob esta perspectiva, gerenciar requer flexibilidade das comunicações, no qual o gerente de projetos representa a peça fundamental. A comunicação é essencial no relacionamento interpessoal e gera mudanças no comportamento dos indivíduos e das organizações. A perspectiva social do gerenciamento de projetos envolve participação, motivação, comunicação e, sobretudo, as necessidades humanas, pois estes fatores influenciam diretamente no sucesso dos projetos.

Curta a página do Facebook da FIXE e acesse a conteúdo exclusivo para fans: Modelo de CV de sucesso, dicas de Leitura, dicas para as certificações.

Quais os temas do seu interesse que gostaria sejam tratados em futuras publicações? Deixe seu pedido aqui. Será um prazer poder atender as suas expectativas.

Grande abraço!

Bookmark and Share